Como acertar no tipo de franja

O ideal é você analisar seu tipo de rosto, de cabelo e, claro, suas preferências!

Alice Wegmann, Dakota Johnson, Shakira e Taylor Swift com franjas
Fotos: Reprodução/Instagram e Gustavo Caballero/Getty Images

Mudar o visual não pede necessariamente medidas drásticas. Muitas vezes, uma franja nova já pode trazer um ar diferente e fresh. Se está a fim de cortar a sua, mas não sabe nem por onde começar – ou em quem se inspirar – a gente revela as três perguntas fundamentais pra encontrar seu modelo ideal!

Alice Wegmann, Dakota Johnson, Shakira e Taylor Swift com franjas

Fotos: Reprodução/Instagram e Gustavo Caballero/Getty Images

“Qual o formato do meu rosto?”

A franja harmoniza com toda a aparência do rosto e é preciso pensar nisso pra escolher a sua.
Redondo: se você tem as bochechas um pouco acentuadas, pode apostar em franjas desfiadas. As jogadas na lateral também caem bem.
Triângulo invertido: aqui, a testa é mais larga que o maxilar e combina super com a clássica franjinha reta.
Quadrado: se o seu maxilar fica em evidência, você vai amar cortes desfiados ou na altura do nariz.
Retangular: rostos alongados são show com cortes meia-lua (mais curtos no centro e alongados nas extremidades).

“Qual é o tipo do meu cabelo?”

Uma franja que fica lacradora em fios crespos pode não ser lá aquelas coisas nos lisos. Por isso, preste atenção nessas dicas!
Lisos: pra tirar o efeito “lambido”, vá de franja irregular.
Cacheados: as de comprimento médio ou longo valorizam esse tipo de madeixa.
Crespos: franja curta e lateral deixa um ar moderno e estiloso.
Longos: se quiser destacar o corte, se jogue em modelos na altura do nariz, levemente desfiados.
Curtos: neste caso, depende do tipo de cabelo. É só seguir as dicas acima, fechou?

 

“Quanto estou disposta a cuidar da franja?”

Anota aí: franja dá trabalho! Umas mais, outras menos, mas todas vão exigir um pouco de atenção. Melhor não entrar em cilada, né?
Quero cuidar pouco: então, que tal apostar em uma franja mais bagunçadinha, que aparenta zero dificuldade de arrumar.
Tá, vou me esforçar: aí, todos os outros estilos estão liberados! Lembrando que, cuidando muito ou nadinha, o ideal é dar uma passada no salão uma vez por mês para ajeitar o corte.

Texto: Carolina Vieira, consultoria: Cássia Kurohane, visagista

 

LEIA TAMBÉM:

Os comentários estão desativados.

Próxima notícia